21 de setembro de 2007

21 gramas,o 'Peso da Alma'


É fato que várias pessoas utilizam da afirmativa de que a 'alma tem peso' para prova que ela existe.Eu já ouvi esse argumento incontáveis vezes, mas nunca tinha tido curiosidade em pesquisar mais sobre isso, já que, normalmente, quem faz uso dessa afirmativa nunca sabe explicar como se procedeu a suposta experiência que comprovou que a alma tem massa.A versão mais comum é a de que um cientista, não se sabe qual, botou uma pessoa à beira da morte em cima de uma balança e constatou que 21 gramas evaporaram no instante que a pessoa morreu.Parece idiota, mas tem gente que realmente utiliza apenas esse argumento, sem citar nomes de cientistas envolvidos, local onde o estudo foi feito, os resultados precisos e etc...
Dando uma pesquisada por aí, eu encontrei mais informações sobre esse suposto experimento.Parece que realmente ele foi realizado, mas as conclusões estão longe de ser o que dizem que são.

Em 1907,Dr. Duncan MacDougall de Haverhill, Massachusetts, conduziu experimentos para tentar provar que a alma tem uma massa mensurável e, como conseqüência disso, que ela é material.
Ele, então, construiu em seu escritório, uma cama especial em cima de uma balança, muito precisa, para que pudesse mensurar cada perda de peso de seus pacientes.Seu teste foi realizado com 6 pacientes em estado terminal (quatro com tuberculoso, um com diabete e um de causas não especificadas).Ele os observou antes, durante e depois do processo da morte, e mensurou cada perda de peso dos pacientes.Ele teve o cuidado de eliminar cada causa fisiológica para a perda de peso.Os pacientes perdiam peso a uma taxa de 28 gramas por hora (a medida utilizada era a onça, e cada paciente perdia uma onça por hora.Uma onça tem 28 gramas) devido a respiração e a evaporação do suor.Após um período de 3 horas e 40 minutos, o paciente morreu e, coincidentemente, a balança registrou uma perda de 21 gramas no exato momento.A causa da perda não poderia ser devido a respiração e evaporação do suor, pois a taxa de perda de peso por esses fatores já haviam sido determinadas.O paciente também não urinou ou defecou, até porque seus excrementos permaneceriam em cima da cama-balança.Havia ainda uma outra possibilidade para a perda de peso, que seria o esvaziamento completo dos pulmões.MacDougall subiu na balança e inspirou e expirou o mais forte que pôde, e nenhuma modificação considerável na balança foi registrada.Analisando os fatos,como poderiam explicar a perda de peso súbita do paciente? Seria o peso da alma?
MacDougall repetiu os experimentos com 15 cachorros e observou que os resultados davam negativos, ou seja, não havia nenhuma redução do peso no caso dos cachorros morrendo.De acordo com a sua doutrina religiosa, os animais não teriam almas, como os humanos.Então, os resultados estavam mais do que satisfatórios.

Em Março de 1907, os resultados do experimento de MacDougall foi publicado no jornal The New York Times e no jornal de medicina American Medicine.Mary Roach escreveu o seguinte,em sua coluna :

"De acordo com Dr. Augustus P. Clarke, MacDougall falhou por não ter levado em consideração o súbito aumento da temperatura corporal durante a morte, quando o sangue pára de ventilar os canais pulmonares.Clarke disse que o suor e a evaporação pela respiração, causadas pelo aumento da temperatura, deveria contar em ambos os casos, na perda de peso do homem e na ausência da perda nos cachorros (os cachorros se autoventilam ao ofegarem, e não ao transpirarem).MacDougall rebateu, dizendo que sem circulação, o sangue não pode ir até a superfície da pele e então não há ventilação.O debate continou acirrado de Maio até Dezembro."

E então o site continua :

E necessário ter uma boa dose de credulidade para concluir que os experimentos de MacDougall comprovam qualquer coisa sobre a perda de peso pela morte, muito menos que a quantificação da massa da alma.Seus estudos não foram consistentes, variando os resultados entre os 6 pacientes :

Paciente 1 - "De repente, coincidindo com a morte (...) o peso decresceu 21 gramas."

Paciente 2 - "A perda de peso foi de aproximadamente 14 gramas.Meu companheiro verificou e descobriu o que o coração tinha parado.Eu tentei novamente e a perda de peso foi de 32 gramas."

Paciente 3 - "Meu terceiro caso mostrou 14 gramas de perda coincidindo com a morte, e uma perda de 28 gramas após alguns minutos."

Paciente 4 - "Nossas escalas infelizmente não estavam ajustadas, e houve alguma interferência de pessoas que não estavam satisfeita com meus estudos.Eu declaro que esse teste não teve valor."

Paciente 5 - "Esse caso mostrou uma perda de 10,5 gramas no momento da morte."

Paciente 6 - "Este último teste não foi confiável.Esse paciente morreu aproximadamente 15 minutos depois de ser posto na balança, enquanto eu estava ajustando as medidas."

MacDougall, admitiu depois, que seus estudos nada comprovavam, e era necessário repetir muitas vezes tais experimentos para se ter certeza de alguma coisa.

(O site está em inglês.A tradução foi minha.)

E então o site prossegue falando de mais algumas coisas, inclusive curiosidades como um ganho de peso logo após a morte.
Esse é um típico exemplo de má interpretação, ou interpretação parcial de algum estudo científico.Coisas assim são muito comuns.Não sei se é por desconhecimento dos métodos científicos, ou simplesmente por pura ignorância, mas muitas pessoas costumam citar experimentos inconclusivos como prova de alguma coisa.
Como vimos, esse experimento nada provou e, até onde eu sei, este foi o que mais teve repercussão.Quando alguém se refere ao peso da alma, então, provavelmente está se referindo aos experimentos de MacDougall, mesmo que não saiba, já que normalmente a afirmação de que a alma tem peso e que isso 'foi comprovado cientificamente' costuma vir sozinha, sem nenhuma outra informação acompanhando-a.
Se descobrir outros experimentos semelhantes, posto aqui!

25 comentários:

Danton disse...

Parabéns pelo blog! esta bem escrito!

eU disse...

Otima a matéria e os comentários

Heron disse...

caramba, eu tbm naum acredito nessa historia de peso da alma, mas axo completamente inutil vc criar um blog pra fazer uma analise completamente cética, de acordo com apenas sua vontade, acredito que vc deveria postar os dois lados, e critica-los igualmente, pra no final colocar a sua opinião real, e fazer sentido.

todo tipo, tanto de ceticismo, quanto crença cega, é apenas uma subdivisão da ignorancia.
dar sua opinião qqr um pode fazer, mas demonstrar todos os pontos, todos os lados, é que criam, e diferenciam os inteligentes dos ignorantes.

apesar disso seu blog é bom... parabens, espero que aceite meu conselho xD

abraçss

Lola Beterraba disse...

Concordo com o Heron.
Ma também não tiro o mérito do seu pensamento. Apesar de não ter uma posição quanto a isso pela minah ignorância no assunto. Só assisti o filme 21 gramas... Nada mais.

Didi disse...

> Heron <

Eu, como sugere o nome, ANALISO os fatos de maneira cética.Eu faço parte de um desses dois lados.Linkei uma busca no Orkut no começo do post, que mostra várias pessoas utilizando esse estudo como argumento.Esse é o outro lado.As pessoas apenas repetem essa história, sem citar cientistas envolvidos, sem citar lugar da pesquisa, nada, apenas acham que alguém fez um experimento e disse que a alma tem 21 gramas pq o cientista conclui isso.Não existem argumentos plausíveis do outro lado.
Então eu, deste lado, fui atrás do que seria essa tal pesquisa, e achei então esse teste.Fiz a análise e pude concluir que essa pesquisa não sugere o que o outro lado pensa sugerir.

Wagner disse...

Parabéns pelo texto. Explicou muita coisa sobre o que eu estava procurando.

Raon disse...

excelente post.
estava curioso sobre o tema, e sanei todas as dúvidas agora, muito obrigado

Samurai - Cry of Souls disse...

Peraí...

no caso, existe mesmo uma perda de peso na hora da morte, mesmo que nao seja sempre igual...

o q seria isso? Mr Cetic?

Eduardo Luís disse...

Eduardo

Muito interessante sua reportagem, contudo em relação ao outro lado que não sei por qual motivo não tem o nome citado. O espiritismo fala que a alma se desprende do corpo de forma mais ou menos lenta, conforme o desprendimento da pessoa em relação aos fatos da vida material. Portanto para quem busca compreender o outro lado lendo as informações fornecidas por kardec, e principalmente observando o período no qual foi escrito, consegue encontrar nexo no que o estudo revelou. De todo modo agradeço seu posicionamento e parabenizo pelo material disponibilizado, e de grande valia uma vez que ninguém e dono da verdade a não ser Deus.
Tudo em nossas vidas muda constantemente, se a vinte anos atrás você contasse para alguém que poderia andar na rua falando através de um aparelho com outra pessoa que se encontra no Japão todos achariam você louco ou que era bruxo, mas o tempo se encarrega de desvendar todas as verdades.

Marcos disse...

Tenho a impressão de que você está querendo dizer que alma não tem peso, talvez queria demonstrar que alma não existe, mas as vezes parece que vocÊ tá questionando se o perdo é 21 gramas. Mas que perde peso na hora exata da morte já deu pra ver, e aí? Porquê perde? É isso que quero saber.

Unknown disse...

Analisando tudo o que vc escreveu, pude concluir que cada corpo possui uma massa diferenciada e o peso da alma correspondera a massa corporea de cada um ...ou será que a alma nao é uma representacao real do nosso corpo, como costumamos ver em filmes, novelas...?
O mundo é cheios de mistérios e mesmo com toda a evolucao que o homem sofreu, ele nao consegue achar as respostas. Todos os dias me pergunto: "Será mesmo que Deus existe?; Será que existe vida, após a morte?..." Enfin...Nao tenho medo da morte, so tenho medo da incerteza que ela me causa.

Gener disse...

Leiam o link:
http://www.forumnow.com.br/vip/mensagens.asp?forum=15836&grupo=248034&topico=2770773&pag=10&v=1
gener@terra.com.br

FABIANO disse...

Bom, partindo do ponto de vista da ciência pode-se facilmente dizer que ante os fatos devemos nos calar. Logo é um fato que pessoas tenham uma perda na hora da morte. Outro fato é que esses valores são diferentes. Um cientista deve usar estes fatos não para criticar ou tomar uma margem, mas sim para realizar experimentos a descobrir o motivo da perda de peso e o motivo poelo qual a perda é diferenciada entre humanos. Isso sim é cinetífico. Tomar margem é ANTI qualquer coisa, é anticientífico, é antireligioso é "anti-inteligência"... Logo me agrada a frase de Einstein, que diz: "E se a ciência e a religião dessem as mãos"... e voltando a dizer, ante os fatos devemos nos render e fatos ameaçam nosso ponto de apoio e de conformismo com a nossa pseudo-verdade. E para terminar imagino que uma religião por ser espiritual deve ser mais material e que uma ciência por ser material deve ser mais espiritual, assim haverá equilíbrio sempre. E por último, a ciência se gaba de não provar, mas vale salientar que é presnção e ignorância não provar algo com os limitados e imprecisos aparatos da nossa tão limitada civilização "moderna" que até hoje desconhece a construção das pirâmides egípcias, as colunas babilônicas, as estradas maias e astecas, o desaparecimento repentino de toda esta civilização, sem falar na bateria de 9,0 v encontrada no Egito datada de 6.000 anos atrás e que foi documentário da National Geographic... FATOS SÃO FATOS E ANTE ELES DEVEMOS NOS RENDER. Abraço, Fabiano

FABIANO disse...

Bom, partindo do ponto de vista da ciência pode-se facilmente dizer que ante os fatos devemos nos calar. Logo é um fato que pessoas tenham uma perda na hora da morte.
Outro fato é que esses valores são diferentes. Um cientista deve usar estes fatos não para criticar ou tomar uma margem, mas sim para realizar experimentos e descobrir
o motivo da perda de peso e o motivo pelo qual a perda é diferenciada entre humanos. Isso sim é científico. Tomar margem é ANTI qualquer coisa, é anticientífico,
é antireligioso é "anti-inteligência"...
Logo me agrada a frase de Einstein, que diz: "E se a ciência e a religião dessem as mãos?"... e voltando a dizer, ante os fatos devemos nos render e fatos ameaçam
nosso ponto de apoio e de conformismo com a nossa pseudo-verdade. E para terminar imagino que uma religião por ser espiritual deve ser mais material e que uma ciência
por ser material deve ser mais espiritual, assim haverá equilíbrio sempre. E por último, a ciência se gaba de não provar, mas vale salientar que é presnção e
ignorância não provar algo com os limitados e imprecisos aparatos da nossa tão limitada civilização "moderna" que até hoje desconhece a construção das pirâmides
egípcias, as colunas babilônicas, as estradas maias e astecas, o desaparecimento repentino de toda esta civilização, sem falar na bateria de 9,0 v encontrada no
Egito datada de 6.000 anos atrás e que foi documentário da National Geographic... FATOS SÃO FATOS E ANTE ELES DEVEMOS NOS RENDER. Devemos buscar entender, a prova é consequencia do que se entende e verifica com fatos e análises NUNCA tendencionistas. Isso é CIÊNCIA! Abraço, Fabiano

Claudio Santos Webmaster disse...

Aparentemente alma seria o principio vital de uma consciencia dissociada do inconsciente coletivo.
Aparentemente o inconsciente coletivo (ou como quiser chamar) é imortal e ligado a existencia do homem como espécie, ou seja, é o deus-homem, o deus-ser-humano mesmo. Aparentemente o incosciente coletivo evolui e ajusta a evolução dos humanos através das informações passadas por suas partes conscientes na matéria.
Agora, se sobrevive uma alma ou uma consciencia pessoal após a morte, que ela não se misture ao incosnsciente coletivo novamente é para se discutir. Se essa consciencia não se funde novamente, pode ser que reencarne a energia básica dela apenas, não mais a individualidade que foi anteriormente. Desaparecer totalmente não desaparece, pois nada se perde, tudo se transforma.

Claudio Santos Webmaster disse...

Aparentemente alma seria o principio vital de uma consciencia dissociada do inconsciente coletivo.
Aparentemente o inconsciente coletivo (ou como quiser chamar) é imortal e ligado a existencia do homem como espécie, ou seja, é o deus-homem, o deus-ser-humano mesmo. Aparentemente o incosciente coletivo evolui e ajusta a evolução dos humanos através das informações passadas por suas partes conscientes na matéria.
Agora, se sobrevive uma alma ou uma consciencia pessoal após a morte, que ela não se misture ao incosnsciente coletivo novamente é para se discutir. Se essa consciencia não se funde novamente, pode ser que reencarne a energia básica dela apenas, não mais a individualidade que foi anteriormente. Desaparecer totalmente não desaparece, pois nada se perde, tudo se transforma.

Troglodita disse...

As pessoas se esquecem que a tal de alma pode ser só um peido que o morto larga na hora que afrouxa tudo.

marcos fernandes monteiro disse...

Pra mim pareceu bem conclusiva essa experiencia.Todos os moribundos apresentaram perda repentina de peso,ja q ninguem sabe q peso é esse.E ainda tem os cachorros q simplesmente morreram com o mesmo peso.É uma questao de logica.

marcos fernandes monteiro disse...

Pra mim pareceu bem conclusiva essa experiencia.Todos os moribundos apresentaram perda repentina de peso,ja q ninguem sabe q peso é esse.E ainda tem os cachorros q simplesmente morreram com o mesmo peso.É uma questao de logica.

Iris Ralime disse...

Espero que um dia os espiritas aprendam a diferença entre religião e ciência. Pra dá uma introduzida queridos irmãos:
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fb/Metodo_cientifico.svg .
Apenas aceitem, vocês tem uma religião que é baseada na FÉ e não em coisas concretas. Se vcs dizem que espiritismo é religião cade os artigos científicos COMPROVANDO? E nem me venham com aquele cara da pineal, e cartas, e nem do código CID F44.3,ou a experiência com os médiuns junto com chico xavier dá uma olhada aqui: http://www.ceticismoaberto.com/paranormal/3417/chico-xavier-e-a-fraude-de-otlia-diogo-a-irm-josefa até mesmo a experiência pq ou vcs são muito inocentes! Vão pesquisar antes de dizer que o espiritismo tem comprovações cientificas¬¬
Aproveita e da uma olhada nisso:http://www.youtube.com/watch?v=U-tt2oG5hhY
É revoltante como vcs enganam as pessoas qndo dizem que é cientifico, é simples espiritismo É UMA RELIGIÃO queiram ou não e por sinal, queridos espiritas o próprio chico xavier afirmou qndo perguntado que espiritismo é religião não ciência. Por fim quero dizer que pra saber se uma coisa é verdadeira primeiro procure EM TODOS OS LUGARES e se vc diz q é cientifico nada mais normal em se procurar em artigos científicos sobre o tema e nao no livro dos espiritos feito por espiritas. Um pouco de bom senso por favor

Alessandra disse...

Veja sobre a teoria quântica da consciência, publicada por dois cientistas Americanos, de Oxford e da universidade do Arizona ( Stuart Hameroff e Roger Penrose). Essa teoria pode realmente explicar o peso da alma, segundo esses cientistas essas interacoes quanticas dentro de microtúbulos nas trilhões de células cerebrais, no momento da morte se dissipam para fora do corpo. Isso seria a nossa alma.

Alessandra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio Sodré disse...

Mas não é verdade que um tal Lewis Holander fez a mesma experiência com carneiros e que as variações de peso aconteceram entre os 18 e os 780 gramas..., consoante a alma de um...

PHoxz L disse...

Peso da Alma... um grão de mostarda hmmmm será??

Unknown disse...

Cara muito fela, em vez de preocupar em achar a cura para o moribundo, fica esperando ele morrer para calcular o peso da alma dele kkkkkkk

Meu Perfil no Orkut
Meu email : diegovelloso@ig.com.br
CeticismoAberto
CeticismoAberto Notícias
100nexos
Imposturas Científicas
Ceticismo,Ciência e Tecnologia
Projeto Ockham
O Dragão da Garagem
Ateus.net
Marcianitos Verdes
MeioBit
Inovação Tecnológica